sábado, 9 de outubro de 2010

Filmes de Kung Fu: Era uma vez na China

vídeo postado por luzifugum

Não há quem não conheça esta música, isto é, desde que acompanhe há algum tempo os clássicos filmes de Kung Fu. A canção "Nan Er Dang Zi Qiang" (Homem de Determinação) é o tema do mais lendário dos heróis chineses: Wong Fei Hung.

Em 1991, o renomado diretor Tsui Hark resolve revitalizar o personagem ao produzir e dirigir o épico Once Upon a Time in China (Era uma vez na China ou "Guerreiros à prova de Balas" no Brasil) e de quebra, ajuda a resgatar os filmes tradicionais de Kung Fu que haviam perdido muita popularidade na década de 80.
 trailer japonês legal de Once Upon a Time in China 2 e 3. postado por grand100axis

Era uma vez na China contou com o uso mais frequente do "wire-fu" e outras técnicas de filmagem, deixando a ação mais dinâmica numa época em que computação gráfica era impensável, ainda mais em Hong Kong.

Estrelando Jet Li que foi revelado na trilogia Shaolin Temple (O templo de Shaolin, Filhos de Shaolin e O templo de Shaolin 3) e amargado fracassos e poucos sucessos em bons filmes no final dos anos 80, parecia finalmente encontrar o seu estilo.

Os fãs mais ortodoxos da Shaw Brothers sempre criticaram Jet Li por este apresentar um Kung Fu cheio de "truques", mas reconhecem que se não fosse por esta pequena revolução no cinema honconês, os tradicionais filmes de Wushu (o termo correto) estariam prestes a serem esquecidos. O grande público já não ligava para as habilidades "reais" dos atores, mas para um filme divertido e com boa narrativa.

Jet Li é Wong Fei Hung
Neste trabalho de Tsui Hark, conhecemos Wong Fei Hung, um jovem mestre, grande conhecedor da medicina chinesa e um perito invencível das artes marciais, tranquilo e com grande senso de justiça e moral. Possui uma paixão secreta por tia Yee (Rosamund Kwan), não é sua tia de sangue, já que ela tem a sua idade, mas o avô da moça era considerado um irmão pelo pai de Wong. Partindo deste princípio o rapaz jamais deixa revelar seus sentimentos (no primeiro filme) e sempre evita maiores afetos de Yee, que é assumidamente apaixonada pelo mestre.

Rosamund Kwan é tia Yee

Wong Fei Hung ainda enfrenta as invasões estrangeiras representadas principalmente pela presença de ingleses e americanos no seu território, que atuam com o tráfico de pessoas e ópio (um fato histórico verdadeiro). Mas Fei Hung não é do tipo xenófobo e aceita as mudanças para a modernização da China sem explorações e luta pela preservação da cultura tradicional.