quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

OYAMA TRILOGY: Karate for Life (1977)

Também ando sem tempo para postar atulizações no blog, mal comecei e já tô reclamando! Mas sobre este clássico eu queria falar há muito tempo. Peço aos meus visitantes mais informações sobre este filme.
Além da popular trilogia "Street Fighter", o Oyama Trilogy também é muito bom. Não sei até que ponto da biografia do Mas Oyama é real e até onde é lenda, pois muito do que já foi contado nos três filmes estrelados por Sonny Chiba: Karate Bullfigher, Karate Bearfighter e Karate for Life está em Fighter in the wind (2006), como o envolvimento amoroso de Oyama com uma gueixa; a vez que ele matou um homem acidentalmente e para se redimir passou a trabalhar para família do cara, etc.

A grande diferença e ao mesmo tempo semelhança entre os clássicos japoneses com o coreano Fighter in the wind é a forma como as obras exaltam o nacionalismo de seus países.












Masutatsu Oyama era coreano, mas se naturalizou japonês e desenvolveu o estilo Kyokushin de Karate. Sua naturalidade jamais é mencionada na trilogia nipônica, até chegar ao ponto do personagem defender o "orgulho japonês" no derradeiro Karate for Life, no qual ele enfrenta americanos que ocupam Okinawa. Na versão coreana, Choe Baedal (seu nome real) come o pão que o diabo amaçou num país que todos o discriminam por causa de sua etnia. Pra quem não sabe, o Japão foi ou ainda é um pé no saco para seus vizinhos, o imperador Hirohito fez o inferno na Coreia, na China e em quase toda a Ásia.

Felizmente, acredito eu, o cinema e a cultura pop atual unem cada vez mais os povos do extremo oriente, veja que sempre há co-produções entre Japão/China/Coreia no cinema sempre bem sucedidos.

Mas falando em Karate for Life, este é o mais forçado de todos, com muito mais ação e acredito que seja apenas mais um exploitation típico do Sonny Chiba. Na cena final Oyama enfrenta um vilão que se esconde num labirinto de espelhos, é não é um plágio descarado de Operação Dragão?












[acima, Chiba mete a cabeça do pobre vilão no espelho e uma super-voadora logo na abertura]

Mesmo assim, o combate é tão divertido quanto o filme estrelado por Bruce Lee, mas o melhor está na luta de abertura, onde Chiba enfrenta uns 100 homens de uma só vez.

Nos dois primeiros: Karate Bullfighter e Karate Bearfighter, o verdadeiro Masutatsu Oyama aparece na abertura treinando com os seus alunos. Em Karate for Life ele não faz nenhuma participação, suponho que isto ocorra porque nesta última película, a história seja inteiramente fictícia, como poderia ter acontecido aquela luta no estilo Operação Dragão?

Leia mais sobre Street Fighter (Gekitotsu! Satsujin Ken) e Sonny Chiba no finado, mas ainda muito bom Pagoda Reborn de Otávio Moulin. E sobre Fighter in the Wind lá também. É bom ler o blog do Bruno, que deixa qualquer um louco de curiosidade para assistir a filmes do Sonny Chiba.

Saiba mais do Karate Kyokushin clicando aqui em artigo especial do NippoBrasil