sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

The Last Princess (2008)


A princesa Yuki do clã Akizuki e seu fiel samurai, General Rokurota Makabe, tem a difícil missão de alcançar a região segura de seus aliados, os Hayakawa, mas todas as fronteiras estão cercadas pelos terríveis Yamana, que outrora quase dizimou o clã Akizuki e atualmente reprime a população camponesa, fazendo miséria por onde passam.

Yuki e Rokurota ainda estão levando consigo uma carga de ouro, escondida sobre gravetos e estão disfarçados de humildes lenhadores, este ouro será utilizado para reerguerem o clã Akizuki. Eles ficam alojados durante muito tempo no alto das montanhas, a "fortaleza escondida", esperando o momento certo para partirem. São vistos por dois homens que fugiram das garras dos Yamana, eles são Takezo e Shinpachi, que gananciosos pelo ouro, resolvem ajudar Yuki e Rokurota, sem saber que eles são os salvadores da pátria.


Este filme lançado ano passado nos cinemas japoneses pode não ser tão especial quanto o clássico que o inspirou, mas ao menos diverte dentro de sua proposta. Porém, cinéfilos mais exigentes não vão engolir a quantidade de chavões que a obra carrega. Só por causa de algumas frases do tipo "deixo a princesa em suas mãos" ou falas de vilões: "una-se a mim e juntos dominaremos o Japão" ou aquelas situações em que o sujeito coitado da história (o herói) se apaixona pela princesa e ela por ele, vão incomodar quem está de saco cheio dessas histórias. Ainda mais quando você fica sabendo que o clássico "Kakushi Toride no san akunin" de 1958, dirigido pelo lendário Akira Kurosawa não tem nada disso.



Mas não adianta ficar só metendo pau neste esforçado longa do diretor Shinji Higuchi, que tem experiência em coordenação de efeitos especiais (Gamera, Evangelion, etc). "Kakushi toride no san akunin - The Last Princess" é bem dinâmico e divertido, com fotografia e figurino bem caprichado, apesar do apelo teen/pop. No elenco: Jun Matsumoto (do Arashi), mesmo aparecendo todo esfarrapado, não há como esconder o jeito de playboyzinho, mas seu personagem (Takezo) é o protagonista, seu interese romântico é a princesa Yuki ou Yuki hime (na pele da gatinha Masami Nagasawa). O samurai Rokurota Makabe ficou por conta de Hiroshi Abe, que o fez bem convincente, ficou até parecido com o Rambo, mas ainda prefiro Toshiro Mifune (1920-1997) para esse papel.

As cenas de ação são bem executadas e os momentos em que Rokurota (Hiroshi Abe) retalha seus oponentes são sangrentas e excitantes. E os momentos de humor também não são dos piores. É, eu recomendo.

site oficial do filme: http://www.kakushi-toride.jp/