terça-feira, 24 de janeiro de 2012

SESSÃO KICKBOXER: DRAGON KID (aka: Jet Li - O Justiceiro)


Para quem se lembra ainda da Sessão Kickboxer (ou Cine Band Kickboxer, merchandising forçado) deve conhecer o primeiro título que My Father is a Hero (HK, 1995) recebeu no Brasil - Dragon Kid - nada original, porém prefiro este, pois não é apenas uma questão de troca de nome e sim uma versão diferente mesmo. A outra é "Jet Li - O Justiceiro", ainda reprisado no SBT.

Jet Li e Xie Miao são pai e filho bons de briga

Jet Li: O Justiceiro é herança direta da distribuição americana: Jet Li - The Enforcer, trabalho da Dimension Films que fez uma cagada edição absurda, não se contentando em apenas dublá-lo em inglês, trocou a trilha sonora original por uma outra, amenizaram a forçada sonoplastia de Hong Kong por uns "sonzinhos de chicote", fizeram até uma sutil alteração no roteiro e alguns cortes, enfim, parece exagero, mas O Justiceiro e Dragon Kid são filmes muito diferentes por causa disso. A dublagem clássica (versão brasileira) também é melhor, não me lembro agora qual era o estúdio. Lembro-me que Jet Li foi dublado por Sérgio Moreno e não Tatá Guarnieri, seu dublador mais recorrente. Em O Justiceiro do SBT não sei quem é seu dublador.

cena de Fist of Legend na capa de Jet Li - The Enforcer

Kung Wei (Jet Li) é um policial secreto de Pequim, seu trabalho é se infiltrar no meio da máfia e desmantelar o crime organizado antes que os bandidos descubram. Quase não há tempo para estar junto de sua família, sua esposa doente e seu filho Xu mu ou Johnny (Ku Kung no original interpretado por Xie Miao), um prodígio do Wushu. Ninguém sabe que ele é policial, incluindo sua mulher e seu filho, é tão secreto que apenas um superior da polícia conhece a sua identidade. Em sua última missão, Kung Wei enfrenta uma perigosa quadrilha de Hong Kong e acaba entrando em colisão com a polícia local, mas é apoiado pela inspetora Fong (Anita Mui).

A quadrilha é comandada por Po Kwong (Rongguang Yu), um metido que nunca tira os óculos escuros. Integram aí: Collin Chou e Ken Lo, sempre figurando como vilões

Jet Li lutando com tonfas
Anita Mui em ação

Mesmo não sendo um Wuxia, Dragon Kid apresenta bastante wire-fu, técnica que alguns fãs hardcore não toleram muito, duvidando muitas vezes das reais habilidades marciais de Jet Li. Mas foi este estilo que o consagrou e acredito que ajudou a manter os filmes de Kung Fu de pé na década de 90, o estilo "Police Story" dos anos 80 e as longas tomadas do Old School da década de 70 já haviam cansado o grande público.

Para dar mais dinamismo nas lutas, Corey Yuen costumava enquadrar a câmera bem próxima dos personagens e dublês utilizando-se de mais tomadas em cada cena, este foi o estilo predominante nos anos 90 em Hong Kong, que depois de um tempo também cansou.

Corey Yuen é o barman (à direita) ele costumava fazer participações rápidas como esta

A parceria do diretor Corey Yuen com Jet Li na produção executiva foi uma das mais bem sucedidas nesta fase: O Guarda-Costas em Ação, A Saga de um Herói 1 e 2 (receberam o mesmo tratamento da Dimension Films). Yuen foi o principal coordenador de ação de Jet Li em muitos outros filmes de Hong Kong e o acompanhou também em Hollywood desde Máquina Mortífera 4 até Os Mercenários, com exceção de alguns feitos com Yuen Woo Ping.

Última edição do DVD lançado pela tal "New Way Filmes" tem capa idêntica ao da Dragon Dynasty

Particularmente, em termos de ação, eu gosto mais dos filmes da década de 80, mas Dragon Kid e outros filmes de Jet Li da Sessão Kickboxer marcaram a minha adolescência, tanto quanto Jaspion na minha infância. Comprei na semana passada o DVD distribuído pela "New Way Filmes", também conhecida por Continental, Media Action e por aí vai... que segundo Bruno Martino (Bonga Shimbum), é uma empresa sacana que vende material vagabundo a altos preços sem pagar direitos autorais a ninguém. Se bem que na maioria dos casos isso é verdade, mas acho que tive sorte dessa vez, paguei R$ 12,99 numa americanas express (loja física) e é a mesma versão distribuída pela Dragon Dynasty, tem imagem muito boa, mas infelizmente é aquela editada pela Dimension. E a dublagem brasileira parece ter sido gravada da TV... tem ruídos!

Dá pra ver "My Father is a Hero" completo pelo Youtube, entre algumas opções tem essa aqui.

Em 2005 a The Weinstein Company que é dona da Dragon Dinasty (distribuidora de filmes asiáticos nos EUA) adquiriu a Dimension que pertencia anteriormente à Miramax/Disney.