sábado, 17 de janeiro de 2009

Cinema: Tailândia, a nova potência asiática dos filmes de ação

Dez anos atrás eu jamais imaginaria estar assistindo à filmes de ação produzidos na Tailândia, me lembro ainda da primeira vez quando aluguei "Ong Bak - Guerreiro Sagrado" ( Imagem Filmes) com certa desconfiança e medo (ou preconceito?) de ver algo meia-boca. Mas em vez disso, fiquei é de boca aberta.

Não demorou muito e Tony Jaa já (não foi intencional) vem com o seu primeiro trabalho como diretor em "Ong Bak 2", esta notícia não é novidade para ninguém, principalmente se você é fã do gênero e frequenta a comunidade filmes de kung fu do Orkut, lê o blog Asian Fury, mas se você é daqueles que curte ação e ainda não viu "Nascido para Lutar" (Born to Fight), "O Protetor" (Tom Yum Goon), "Guerreiro do Fogo" (Dinamite Warrior), "O guarda-costas" (The Bodyguard) - este não é tão bom assim, não estou falando daquele do Kevin Costner, que aliás, também não gosto - corra até a locadora, você não vai se arrepender.


[cena de Tom Yum Goong, 2005]

Geralmente são produções com temas bem batidos, mas como o Bruno C. Martino (Bonga Shimbum) disse, são filmes pensados no público, em coisa que o povo gosta de ver, cinema de gênero, algo ainda pouco explorado no Brasil.

Não é só de filme de Muay Tai que vive a Tailândia, o cinema de horror também vem sendo muito explorado.

[trailer de Body #19, 2007]